Uma breve História sobre o Carnaval

Carnaval, é uma palavra que se originou do Latim (ccarnis lavale), que significa retirar a carne. Essas palavras foram dadas em seu significado devido a quaresma (período em que os fiéis reverenciam Jesus, que me seu tempo, ficou 40 dias de jejum em mio ao deserto e foi tentado pelo próprio diabo).

A quaresma ocorre na mesma época em paralelo com a simbologia dos prazeres carnais, ou seja, humanos. A igreja católica teve o intuito de enquadrar a festa relativamente pagã, aos ritos da época.

Carnaval na Babilônia

Por outro lado, há estudiosos que dizem que o carnaval é uma comemoração de origem babilônica. Na chamada festa Saceias, era concedido um prisioneiro que se vestia como rei na comemoração. Após seu fim, com todos os prazeres concedidos ao mesmo, ele era morto, como uma continuação do rito pagão.

Há ainda outra versão, também condizendo ser originário da babilônia, onde o carnaval era um rito prestado no templo de Marduk. Lá, o rei teria sido humilhado e agredido pelos seus súditos, para provar que, mesmo sendo rei, ainda era inferior a divindade representada no templo.

Carnaval na Grécia e Roma

Há outros historiadores que creem que o Carnaval se iniciou na Grécia antiga, onde as pessoas comemoravam como um rito de princípio de primavera. Sendo isso, por volta de 600 a.C.

Há ainda outros, que acreditam que o Carnaval se iniciou na Roma antiga, em Saturnária. Neste ritual, as pessoas costumavam se caracterizar, brincar, beber, comer e se divertir durantes os dias de celebração.

O Carnaval, a Festa da carne

Independentemente de sua origem, podemos encontrar inúmeros relatos de que essa comemoração dá uma liberdade as pessoas. Com essas festividades, as pessoas se fantasiam, escondem seus rotos e vivem, mesmo que por um momento, eles podem ser eles mesmos. Um paradoxo, porém, com máscaras, o Carnaval trás o natural humano, que pode ser demonstrado através das danças e ritos festivos.

No Brasil, o Carnaval veio direto dos Portugueses. Nessa brincadeira carnavalesca, as pessoas poderiam retirar, umas das outras, suas coisas. Isso incluía comidas, vestes e outros pertences. Com o tempo, isso acabou sendo proibido. Passando, assim, a usar serpentinas e confetes na festa.